O que é o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA)?

Grande responsável pela segurança de prédios, edifícios e até residências, um Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) tem como seu objetivo principal proteger os mesmos da incidência de descargas elétricas geradas por tempestades.

Mas como ele faz isso e quão eficiente ele é em cumprir esse papel, você deve estar se perguntando. É isso que vamos explicar abaixo.

O que faz o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas <h2>

Como dito, o propósito do SPDA é evitar que os raios entrem diretamente no edifício a ser protegido, estabelecendo um ponto de incidência prioritário para a descarga que eventualmente atinge o edifício.

Além de capturar o raio, o SPDA também tem o papel de direcionar a corrente relevante diretamente para o solo através de um caminho definido, que consiste nos condutores do sistema de proteção, o que mantém a segurança dos residentes.

Riscos da ausência de SPDA <h2>

Quando um raio atinge um edifício protegido, a descarga passa pelo para-raios e atinge o sistema de cabos até atingir o solo, se dissipa no solo e perde sua força.

Sem tais medidas de proteção (ou em situações onde os sistemas estão insuficientes), os raios podem danificar a estrutura do edifício e penetrar nas instalações elétricas. Além disso, o fracasso do SPDA também coloca em risco os moradores que circulam no prédio durante a queda do raio.

Quais tipos de edificações precisam de um projeto de  SPDA, segundo as normas? <h2>

Em muitos casos, um Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas é opcional, como em residências, em outros eles são altamente necessários e obrigatórios. Conforme a NBR 5419, existem edificações em que a estrutura do SPDA é indispensável.

São elas:

  • Construções comuns, utilizadas para fins comerciais, industriais, agrícolas, administrativos ou residenciais;
  • Estruturas especiais, como, por exemplo, chaminés de grande porte.

O SPDA obrigatório nesses edifícios ainda depende de uma análise prévia do risco de queda de raios e dos danos que a ausência ou má manutenção do SPDA pode causar.

Assim, além da ameaça da ocorrência de raios, a ameaça de falha do equipamento eletrônico é também avaliada, incluindo também perdas econômicas na área, ferimentos e mortes de humanos e animais.

Por meio deste diagnóstico, os edifícios que utilizam SPDA podem ficar dispensados ​​da obtenção do laudo técnico denominado na ART (Declaração de Responsabilidade Técnica). A ART é assinada pelo engenheiro para comprovar que a estrutura não apresenta riscos.

É importante ressaltar que há diversos tipos de SPDA.

Os 3 sistemas de proteção contra raios mais comuns <h2>

Dentre os diversos tipos de SPDA, os mais utilizados são estes.

Ponta de Franklin <h3>

O sistema de proteção de para-raios Franklin é o mais conhecido e ainda o mais comum sistema de para-raios, conduzindo os raios até o solo por meio de uma barra de metal com uma armadilha e um fio isolado para proteger a estrutura com um cone. Este é um tipo de ligação a terra, muito adequado para edifícios pequenos.

Gaiola de Faraday <h3>

Este sistema é um conjunto de hastes e condutores de aterramento, que isolam o interior para proteger os edifícios dentro da “gaiola”. Esse método é muito comum na Europa, e tem crescido no Brasil, proporcionando melhor proteção.

A proteção também está relacionada à distância entre os condutores, quanto mais próxima for à distância entre eles, maior será a proteção. Nesse sistema, a viga atinge a grade e a carga é trazida para o lado e baixada até o solo.

Esfera rolante <h3>

Este projeto de SPDA baseado em esferas rolantes (eletrogeométrico ou esfera fictícia) utiliza uma esfera que deve rolar pela edificação. Onde a esfera estiver, haverá maior chance de descargas atmosféricas tocarem a construção. Por isso, esses pontos da edificação devem ser protegidos com para-raios do tipo ponta Franklin ou ionizante. O tamanho da esfera deve ser proporcional ao nível de proteção desejado.

Então, entendeu sobre o que é o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas, sua importância e seus tipos? Como pôde observar, é muito importante instalar o SPDA em seu edifício, além de manter a sua correta manutenção, já que isso evita erros graves na proteção de equipamentos e estruturas mantém a segurança dos envolvidos.

Nós da RP Engenharia atendemos em todo o Brasil, projetando, criando e fazendo a manutenção de Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas em edifícios e empresas de médio e grande porte. Entre em contato com a gente se precisar de um atendimento.