A importância de um sistema de alarmes de incêndio

Presente e obrigatório em qualquer edificação, principalmente em ambientes corporativos, prédios de acesso público e complexos e plantas industriais, os itens de prevenção e combate a incêndio possuem como premissa um sistema de alarmes de incêndio que é indispensável e pré-requisito de qualquer planejamento preventivo que busque evitar e debelar focos indesejados de fogo nestes ambientes internos.

O sistema como um todo, quando não previne ou contém, deve atrasar os efeitos danosos do fogo a fim de dar tempo para que os bombeiros ou “brigadistas” cheguem ao foco do incêndio. Isto vai evitar perdas materiais e de vidas humanas, porque essa história de que bombeiros chegam em minutos após acionados é só em filme americano, amigo.

Como é um sistema de alarme de incêndio?

O projeto de prevenção e combate a incêndios exige, antes de mais nada, uma “central de incêndio” com câmeras, detectores e intensa vigilância e deve ficar situado em área central, de fácil acesso, geralmente próximo de portarias ou rotas de fuga. É lá que serão acionadas sirenes de alerta que deverão ser ouvidas por todas as pessoas no interior ou arredores da edificação alvo do perigo.

Estas centrais devem ser alimentadas por energia elétrica, nobreaks e geradores, porque não pode parar de funcionar nunca!

Este sistema deve ser alvo de manutenção preventiva e preditiva intensa e periódica – a primeira previne o fato, a segunda testa os componentes do sistema.

Há edificações e imóveis que por sua atividade ou por sua localização sofrem a obrigação mais enfática de possuir o sistema de prevenção e combate ao fogo e são rigidamente fiscalizados por isso.  E são muitos. É mais fácil destacar em que casos não há esta obrigatoriedade: imóveis com menos de 750 metros quadrados de área de construção ou doze metros de altura, ou ambos.

No resto dos casos, o sistema é obrigatório. 

Onde é necessário um sistema de alarmes de incêndio

Sistema de alarmes de incêndios são necessários (e são exigidos pela fiscalização) em condomínios horizontais (prédios de apartamentos e salas comerciais), shoppings, garagens, postos de abastecimento, oficinas e silos.

Estes locais devem possuir equipamento anti-fogo, rotas de fuga, centrais de monitoramento, extintores, sirenes, etc.

Quais tipos de sistema existem

Há sistemas convencionais e não convencionais de detecção e alarme de incêndio nestes casos aqui já falados.

Os não convencionais são também chamados “endereçáveis”, que significa que os componentes, repartições e periféricos protegidos pelo sistema são catalogados, individualizados e identificados em caso de pane ou risco de fogo, o que o sistema convencional não possui.

Seja um ou outro sistema de prevenção e combate a incêndios, uma palavra os define: exclusividade.

Suas estruturas e componentes são exclusivamente dedicados ao fim a que se destina sua estrutura, seja da complexidade que for.

Assim, eletrodutos, cabos, extintores, monitores, centrais de computador, caixas de passagens e fios estarão todos integralmente dedicados a prevenir, monitorar e dar o alarme para o caso de foco de incêndio e tão logo este ocorra.

Sua empresa ou seu empreendimento precisa de um sistema de alarmes de incêndio? Nós da RP Engenharia podemos te ajudar a evitar danos maiores, preservando seu patrimônio. Entre em contato com a gente.

Matérias recentes