A importância e o papel da caldeiraria.

Um dos carros chefes de nossa empresa é a Caldeiraria, por isso hoje vamos falar um pouco mais desse ofício tão importante. Continue com a leitura e entenda a importância e o papel da Caldeiraria.

Caldeiraria
O caldeireiro é um fabricante de componentes a partir do metal, montando e soldando matéria bruta e dura a partir de chapas metálicas e tubulações mais densas. Para chapas metálicas mais finas, o trabalho fica por conta do lanterneiro e a moldagem será no atrito e na pancada, e não no corte e no calor da modelagem.
A caldeiraria trata do corte, preparação e soldas em chapas metálicas, em três dimensões. Ela fabrica e repara objetos e equipamentos por meio de prévios esboços e projetos, permitindo um corte e solda precisos, parar um instrumental final infalível. As chapas são cortadas, trabalhadas e lapidadas para alcançar a forma desejada. Estas peças são tridimensionais e a espessura mínima para suportar a transformação da matéria prima em peça de usinagem é de 2 milímetros.
A caldeiraria industrial vai desenvolver peças, componentes, recipientes e equipamentos em metal em chapas e barras de ferro para aplicação em diversos segmentos da indústria e, inclusive, para o transporte de produtos industriais e matéria prima industrial, como gás, combustíveis e vapor.
Na indústria a caldeiraria é pesada, porque produz equipamentos específicos que geralmente não são produzidos em larga escala – o caldeireiro vai realizar, através de procedimentos de usinagem, uma peça encomendada a partir de um projeto e de matéria prima bruta, geralmente o aço e ligas metálicas.

História da Caldeiraria
A caldeiraria vem da Idade Média, quando os escudos e as armaduras dos guerreiros eram peças executadas por meio de martelamento. Depois se aprendeu a usar o fogo e o calor para a moldagem, e outros instrumentos, como a bigorna e o martelo foram sendo utilizados nesta nobre arte que também gerou atividades capilares como a cerâmica em vasilhas, a latoaria e a funilaria (lanternagem). Até mesmo a tanoaria, a ciência que cuida da fabricação de barris e toneis, tem suas origens ligadas à mesma técnica da caldeiraria.
A contar do ano de 1820 e da revolução industrial que lhe sucede, as fábricas se transformam em indústrias porque passam a adotar linhas de montagem para a criação de produtos em larga escala para um mercado consumidor emergente e cada vez maior, nas grandes cidades que então se iam formando. Aqui, a água e o vapor também passam a ser usados e o cobre e o carbono expandidos em suas múltiplas utilidades para a montagem de equipamentos – surge, então, a caldeiraria industrial.
Com a descoberta das ligas leves, como o magnésio e o alumínio, as múltiplas funcionalidades da caldeiraria industrial se dispersam e surge a caldeiraria leve, que atualmente trabalha com titânio e tântalo, é muito importante porque abrange indústrias como a química, a aeronáutica e a indústria espacial.
A caldeiraria, hoje, é dividida conforme os metais e as espessuras trabalhadas: como já dito, até 2 milímetros o caldeireiro será um funileiro ou lanterneiro trabalhando com material duro de baixa espessura, como latão e a alpaca. Depois há a caldeiraria leve ou média, que trabalha com aço de baixo e médio teor de carbono, com espessuras de no máximo 10 milímetros. Por fim, temos a caldeiraria pesada, para os metais mais densos e de maior espessura.
Diariamente, você vê exemplos de usinagem em caldeiraria: depósitos, adutores e componentes de transporte e envasamento de produtos químicos; vagões carga, gasômetros e fornos industriais, caldeiras propriamente ditas e recipientes para o transporte e armazenagem de grãos e produtos químicos, dentre inúmeras outras funcionalidades.
Por fim: a obra em caldeiraria mais conhecida do mundo é a Estátua da Liberdade, em New York, com mais de 46 metros de altura edificados sobre cobre martelado com 2,5 mm de espessura.


Interessante não é mesmo? Gostou de aprender mais sobre a importância e o papel da Caldeiraria, continue seguindo nosso blog.

Matérias recentes