Quais as principais diferenças entre obras industriais e residenciais?

Obras da construção civil podem ser de diversas espécies, sempre consistentes na edificação de algo mediante a obediência de regras técnicas e científicas, através de profissionais capacitados dos respectivos setores e visando a criação de estruturas físicas que serão utilizadas, exploradas e/ou habitadas por indivíduos. Siga com a leitura e descubra quais as principais diferenças entre obras industriais.

As obras e construções industriais, por exemplo, são criadas a partir de estruturas simplificadas de cobertura e fechamento externo e interno por piso. Usam muitos pré-moldados, blocos de concreto, pinturas texturizadas e tecnologia para tornar a obra mais rápida e barata, usual e prática – e não necessariamente mais bonita, ornamental, voluptuária.

Projetos de construção residencial (e sua respectiva execução) são obviamente bem diferentes, porque, acabados, terão outra destinação dada pelo consumidor final. Serão habitações singulares ou coletivas utilizadas por indivíduos para desfrute, lazer, repouso e convivência – não estamos falando só de casas ou prédios residenciais aqui, mas de hotéis, restaurantes, resorts, áreas de lazer e tantas outras edificações destinadas ao deleito humano.

Estas edificações, desde o projeto, centram-se na beleza, bem estar e privacidade de seus usuários, adaptando o espaço construído ao compartilhamento de áreas comuns sem perder no incremento do resguardo das unidades autônomas da edificação (apartamentos, quartos, garagens, etc…). Quando se trata em específico de unidades residenciais autônomas, o foco é em materiais e vindoura distribuição de mobiliário, aproveitamento de luz solar e fossos de circulação de ar natural. A maioria destas preocupações, é evidente, não existe na construção civil industrial.
Gostaria de saber mais sobre obras industriais e residenciais? Entre em contato com a RP, temos experiência de mercado para te ajudar.

Matérias recentes